sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Os Homens Quebrados (XVI)

Somos os Homens Quebrados
Escutamos a Madrugada
E achamos triste
O cantar dos pássaros
E o gorjeio da coruja
É o prenúncio da morte violenta na janela
Que o cão negro ladra selváticamente

E é assim, no Reino de Sombras,
As manhãs entram pelo dia e desaguam na loucura

Sem comentários:

Enviar um comentário